Mensagem pelos sírios em Aleppo

Textão circulando no Facebook…

Fale sobre Aleppo. Chore por eles como você chorou por Paris. Chore por eles como você chorou por Nova York. Fale sobre eles. Nosso silêncio está matando-os. São pessoas, PESSOAS. Eles não são importantes porque são árabes? Porque eles são sírios? Será que sua vida importa menos do que a vida de um francês ou um americano? Pessoas de Aleppo estão postando suas mensagens de despedida na internet como um massacre final sendo esperado para acontecer a qualquer momento em breve e estamos SILENCIOSOS. Ficamos em silêncio por mais de cinco anos. Algumas crianças em Aleppo não conhecem a vida sem guerra. Imagine viver em uma cidade de ruínas e ter que temer por sua vida a cada instante. Hospitais, igrejas, casas, restaurantes são bombardeados no cotidiano e centenas são mortos todos os dias. No entanto, estamos em silêncio. Lembre-se delas. Honre-os. Nós permitimos que um genocídio em massa acontecesse diante de nossos olhos por anos. A mídia fechou os olhos para isso. Este é um dos maiores genocídios desde o holocausto e o mundo está vendo as pessoas morrerem em silêncio. Não só morrendo mas também, sendo exterminados, retaliados e estuprados! Fale sobre Aleppo, por favor.

COPIE E COLE!!
#prayforAleppo 🙏🏼😔🇸🇾
Por: Hanan Amin Alkaram

Alexandre Sena Show #09 – Facebook e campanhas eleitorais

AgendaFacebook

No ar, a nona edição do Alexandre Sena Show! Você pode ouvir este episódio no player acima ou baixando o link no final deste post.

Neste programa, comento muito rapidamente sobre um evento realizado em Brasília na semana passada, do qual participei, que tratou do uso das ferramentas do Facebook nas campanhas eleitorais (assista ao vídeo com a íntegra da palestra no Facebook). Falo sobre a principal tendência na qual a rede de Mark Zuckerberg aposta para o marketing político: a transmissão de comícios e eventos políticos pelo Facebook Live, novo serviço que concorre com o Hangout, do Google, e o Periscope, do Twitter (ouça trecho desse assunto no SoundCloud.)

No Giro pelos Podcasts, destaco os últimos episódios do PodSemFio, do TambaCast e do Laços Podcast. Você vai poder ouvir trechos desses programas para conhecer e, se gostar, passar a acompanhar.

Esta edição traz atrações musicais bem variadas. Atendendo a pedido de um ouvinte, trago um clássico do Sonic Youth nesta edição: Teen Age Riot. A jovem paraense Natália Matos, um dos novos nomes da música brasileira, aparece aqui com Você Me Ama, Mas. E o DJ Paul Oakenfold encerra o episódio com a novíssima U Are.

Comentários, sugestões e críticas sobre esta e outras edições do Alexandre Sena Show podem ser enviados para o meu e-mail, alexandresena@gmail.com, ou pelo Facebook. Visite e curta nossa fanpage ou deixe o comentário no formulário mais abaixo.

Que tal me ajudar a manter o podcast? Doe qualquer valor por meio do Patreon!

Assine nosso feed RSS.

Baixe a íntegra deste episódio (formato MP3, 31,1 MB, 33m43s)

Dez novidades do Facebook para 2016

O Facebook está se preparando para lançar várias novidades ainda este ano. Eis um pequeno resumo preparado pelo Luciano Larrossa:

1) Transmissões ao vivo para qualquer pessoa – A partir de 2016 o Facebook vai dar a possibilidade de qualquer usuário fazer uma transmissão ao vivo.

2) Recomendações do Facebook – O Facebook vai implementar uma funcionalidade que permite ao usuário pesquisar pelos melhores negócios locais. Muito similar ao Yelp.

3) Facebook at Work – Esta é uma solução empresarial que permite que qualquer empresa utilize todos os recursos do Facebook (Messenger, ligações, etc) num ambiente fechado. Muito similar ao Slack.

4) Busca melhorada – O Facebook já deixou bem claro que pretende entrar no mercado das buscas para concorrer diretamente com Google e Bing e para isso ele vai melhorar cada vez mais a sua busca, tanto para publicações de usuários como para publicações de páginas.

5) Integração com o Uber no Messenger – Esta novidade já está a ser lançada nos Estados Unidos e em breve ficará disponível em outros países. A partir do Messenger já será possível requisitar um carro usando o Uber como intermediário.

6) Shooping tab – As páginas passarão a ter uma tab onde os usuários poderão conferir os produtos e fazer compras.

7) Instant Articles – Já está disponível para algumas das maiores mídias, sendo que a partir de agora elas podem publicar os seus artigos diretamente no Facebook.

8) Melhoria nos eventos – A partir de 2016 os eventos vão inserir novas funcionalidades tais como a possibilidade de adicionar o evento ao calendário, vender ingressos ou até mesmo fazer check-in no próprio evento.

9) Botão para doação – Algumas fundações sem fins lucrativos vão ter oportunidade de angariar verba para as suas iniciativas através do Facebook.

10) Music Stories – Os usuários vão ter possibilidade de escutarem 30 segundos de uma música diretamente no News Feed. Depois, se quiserem comprar a música ou escutá-la durante mais tempo, podem clicar diretamente no link e ir até à Apple Music, Spotify, Deezer ou qualquer outro serviço de streaming.

Comente no Facebook, clicando aqui ou usando o formulário abaixo.

O provável fim do limite de 140 caracteres no Twitter

Usuários de redes sociais especulam sobre uma possível mudança radical no Twitter, cujo limite de caracteres em cada postagem passaria de 140 para 10 mil.

O famoso limite de 140 caracteres do Twitter foi estabelecido, na década passada, porque era o limite de caracteres de uma mensagem enviada por SMS. Poucos lembram, mas o Twitter surgiu como uma rede de “microblogging”, ou blog de textos curtos, que podiam ser enviados por mensagem SMS de celular.

Como o mundo evoluiu, SMS é coisa do passado (vide o sucesso do WhatsApp). Manter o limite de 140 caracteres no Twitter, na minha opinião, é algo totalmente anacrônico e sem sentido.

Eu não acredito que o Twitter vai perder o seu sentido de existir com o eventual fim do limite de 140 caracteres, como alguns internautas vêm proclamando. O Twitter, com todos seus defeitos, sempre foi mais focado em ideias do que em pessoas, ao contrário do Facebook, que se tornou uma “ilha de Caras”, uma revista de fofocas virtual onde todo mundo fica sabendo da vida dos outros. Muita gente odeia o Facebook, mas se mantém ativa no Twitter. Acredito que essas pessoas vão continuar usando aquela rede, mesmo com a mudança radical que poderá sofrer nas próximas semanas.

Para comentar sobre esse assunto no Facebook, clique aqui ou use o formulário abaixo.